domingo, 9 de abril de 2017

EU SEI - ANDRÉ Capítulo II (5 de 5)


Depois de se borrifar uma vez mais com o seu Dolce e Gabbana lá partiu André para casa da Sónia. Para mais uma etapa da sua vida. Para o seu Paraíso na Terra!

Ele queria mesmo que tudo desse certo, desta vez. Sentia no seu âmago que era a mulher ideal para si. E como sentia a ansiedade a tomar conta dele....

Ao chegar com muita antecedência ao local, lá ficou na rua a decorar o discurso, a decorar os elogios, a decorar o rosto da Sónia. E a imaginá-la nos seus braços.
Era chegada a hora....

Quando tocou à campainha da casa da Sónia, não foi ela que lhe abriu a porta, mas como a viu a acenar-lhe ao fundo, num ímpeto resolveu entrar, sem ter tido qualquer noção que ignorou completamente o tipo que lhe tinha aberto a porta.
Ele só tinha olhos para ela. E só para ela.
Entregou-lhe com delicadeza um lindo ramo de rosas vermelhas, e feliz ficou ao vê-la ficar ligeiramente corada.
Tocou a campainha da porta, mas ele nem virou a cara para ver quem entrava, demasiado embevecido com quem tinha à sua frente.
Nesse instante, e não ligando também a quem tinha tocado, Sónia abraça-o para lhe agradecer, tanto as rosas como decerto a sua presença.
Do nada e suavemente, começam a dançar ao som de uma música por si imaginada. E assim permanecem, numa perfeita sintonia.
Enchendo-se de coragem, André aproxima lentamente a sua boca do seu ouvido, e após um suspiro forte sussurra…
Sónia”, sabes…. eu queria-te dizer uma coisa. É que….eu… amo-te muito!” e beijou-a levemente no pescoço.
Ela retira-se levemente do abraço, recua um pouco para lhe fixar os olhos, e ao abraçá-lo de novo, diz-lhe, quase em surdina....
- Eu sei…
fim do capítulo II

(continua)