terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Anjos Meus....

De vez em quando penso nas pessoas que passaram pela minha vida. Serei o único a pensar desta forma?
Não costumo pensar nos que em nada acrescentaram à minha vida, mas sim nos que a influenciaram, a mudaram, que me deram algo de bom.
Durante a minha vida passou por mim uma mole humana. O que acontece a todos nós.
Mas reparo que somente algumas delas ficaram para sempre, pois tocaram na minha alma, indelevelmente.
Quando o destino de dois seres se cruza, a meu ver não será apenas um fenómeno casuístico, uma obra do acaso. Acredito que será bem mais que isso. Quiçá uma pré-disposição. Mesmo uma conjugação.
Mas o que é preciso para que uma pessoa de entre tantas se possa destacar? Sinceramente não sei. As razões parecem sempre diversas de caso para caso.
Não foram muitas pessoas a deixarem marca, mas não é o seu número que interessa, mas sim a qualidade, a intensidade, a razão. E o sentimento.
As suas interacções foram sempre únicas e irrepetíveis, tendo acrescido muito à minha vida. E quero acreditar que acresci algo de bom às vidas delas. Pelo menos tentei.
Na realidade, são os meus Anjos
No entanto, e apesar de tudo, com algumas delas perdi o contacto. Houve um afastamento. Muitas vezes sem ter visto razão. E pior, talvez para sempre.
Para estas ocasiões ouço sempre dizer que “É a vida”, ou “A vida é feita de encontros e reencontros”, mas nunca ouvi dizer que “A vida é feita de afastamentos”. Preferimos ignorá-los. Esquecê-los.
Mas ao pensar nessas pessoas verifico que na realidade estão e estarão sempre comigo, pois as nossas almas encontram-se umbilicalmente conectadas, tal como com aquelas que sempre estiveram comigo.

E confesso, sinto-me tão feliz por isso…..