segunda-feira, 30 de novembro de 2015

MANEPA

Uma amiga minha iniciou há uns anos um movimento sui generis – o MANEPA – Movimento Abolicionista do Natal e Passagem do Ano, ao qual aderi com entusiamo. A sua linha programática propõe que se elimine o Natal na sua actual forma comercial.


 Se bem que os argumentos utilizados são, na minha opinião, muito fortes e convincentes, sei que jamais chegarão para convencer a maioria.


É que do outro lado da barricada está a gigantesca "Máquina Natalícia", que inclui o Pai e a Mãe Natal, comerciantes, fabricantes, distribuidores, etc, etc, estando por último as inocentes criancinhas, ou seja, as consumidoras finais, que farão beicinho caso não recebam as suas mais que merecidas prendas.

Assim de um lado estão cerca de 99,998% da população e do outro 0,002% que pertencem à MANEPA.

Mas será que o Natal está assim tão comercial? Resposta: SIM!! Tu já reparaste que todos os anos pensas e dizes a mesma coisa: “eu este ano não vou comprar prendas para ninguém!”, e após uns segundos de silêncio, acrescentas: “bem, só para as crianças, pois o Natal é para elas .

Só que depois entra em acção a Popota, a Leopoldina, o Ferrero Rocher, o Barbudo nos Centros Comerciais, etc, e o teu cérebro entra em Modo Natal, lentamente, quase sem te aperceberes.

Tu até começas bem, cheio de boas intenções, pois compras os brinquedos para a criançada aproveitando os descontos do Continente, e julgas que ficas por aí. Mas a “Máquina Natalícia” sabe que é a altura do tudo ou nada. E não desiste!

Esta começa verdadeiramente a funcionar na altura de se receber o subsídio do Natal (para quem o tem, claro) e levas incessantemente com as promoções, os Black Friday, os pagas 2 levas 3 e começas a pensar “esta é uma boa oportunidade para comprar aquilo”. Sim, é, e também de seres apanhado. E já foste.

Eu sei que não tens culpa. Todos os anos logo após o final do Verão ficas apanhado numa lavagem cerebral que nem George Orwell imaginou no seu livro 1984. É que nem a Coreia do Norte consegue difundir tanta propaganda em tão pouco tempo.

Por isto tudo aderi à MANEPA. Se te quiseres libertar do Natal comercial adere também. É grátis. Já agora Feliz Natal para ti. Mas do verdadeiro!