quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Silêncio


Uma das coisas que mais me afecta é o silêncio.

Não me estou a referir ao silêncio da noite. Esse é perfeitamente normal, pois moro numa rua sossegada e agitação em minha casa é coisa rara e pouco vista.

Refiro-me sim ao silêncio de quem eu queria que me telefonasse, escrevesse, enviasse mensagens, e-mails ou aparecesse. Uma simples prova de vida.

Mas em vez disso remete-se ao silêncio. Profundo. Perturbador. Opressor até!

O seu silêncio silencia-me, impedindo-me de falar, de escrever, de aparecer. Até de viver.

Não, recuso-me a ouvir mais esse silêncio. Eu não o suporto mais. Vou calá-lo de vez! Logo que descubra como…

O silêncio é o mais insuportável dos sons para quem o não quer ouvir.