segunda-feira, 13 de julho de 2015

Velocidade Furiosa 0:O Ínicio


A "nossa" Terra gira sobre o seu próprio eixo à velocidade de 1.700 quilómetros por hora (movimento de rotação); gira ao redor do Sol à velocidade de 107.266 quilómetros por hora (movimento de translação) e gira à volta do centro da Via Láctea à velocidade de 1.000.000 quilómetros por hora.

Sempre me interroguei porque raio não sentimos essas velocidades todas (especialmente a rotação), mas a explicação cientifica para esse facto é simples: quando a velocidade é constante (sem aceleração ou desacelaração) só seria possível perceber o movimento se olhassemos para um referencial externo parado, ou que se movimentasse a uma velocidade diferente. Esse fenómeno poderia ser observado nas estrelas, mas como elas se situam todas muito longe, esse efeito perde-se.

Estamos todos, portando, numa nave espacial redondinha, apenas achatadinha nos polos, a viajar a uma velocidade brutal, e não me parece que:
  • O condutor (caso exista e tenho dúvidas sobre isso) tenha carta de condução dentro da validade
  •  Exista sistema de travagem em caso de necessidade
  • Que saibamos para onde vamos
  • Que haja necessidade de tanta pressa


Comparemos então esta velocidade (Velocidade Furiosa 0: O Ínicio, por exemplo) com outras situações. Como a nossa Vida. Sentimos sua velocidade?

Sim, respondemos em unissono. Sentimos e muito. E porquê? Mais uma vez há uma explicação cientifica:
  • Porque a velocidade da nossa Vida não é constante: ou está parada paradinha ou de repente começa a mover-se a uma velocidade vertiginosa, muitas vezes nem sabemos porquê, nem para onde vai
  • Porque conseguimos ver a velocidade dos outros em relação à nossa (e olhando para o nosso Facebook, há sempre alguém que está a fazer alguma coisa que adoramos, ou num lugar paradisíaco, ou seja, está a andar muito depressa em relação a nós

É assim a Vida…. resta desejar a todos uma excelente continuação de viagem