quarta-feira, 15 de junho de 2016

O Desabar do Meu Mundo

Eu nem acredito! Incrível. És mesmo uma grandessíssima Besta, meu Desgraçado!

E foi assim desta forma que o meu Mundo desabou!

Mas voltemos atrás a fita….uns anitos.

Fiz-me gente e como todos nós, desde tenra idade criei um mundo só meu.

E é lá onde tenho guardado as minhas coisas mais importantes. E íntimas.

E vi o meu mundo estremecer….

…quando desapareceu a minha chucha predilecta. Quando sumiu o meu livro do banho favorito. Quando a minha namoradinha da primária mudou de escola….

Agora sou adulto e já sabia que o mundo estremecia. Só não sabia é que ele desabava. Até hoje.

É que o mundo desaba mesmo. E desaba forte e feio especialmente quando quem me costuma tratar por “Amor” me apelida agora de “Grandessíssima Besta”!

O meu primeiro instinto foi de me colocar debaixo de uma ombreira de porta, procedimento aconselhado num tremor de terra!

Só depois é que me apercebo do que está realmente a suceder…. e o cenário que vejo é pós-apocalíptico!

O meu mundo, outrora repleto de altares fofinhos, cada um cheio de boas recordações, foi-se!

O céu azul estilo Simpson é agora cinzento muito carregado com trovões a ribombarem, estremecendo tudo!

O chão abre-se sob os meus pés e vejo as escaldantes chamas do Inferno, Mafarricos a puxarem-me os pés…. e o Capeta a rir-se!

Ao longe ainda consigo ouvir a minha própria voz, titubeante, a dizer “Amor, que é isso?

E a resposta veio, pronta, como só as mulheres conseguem fazer, seja qual for a situação…

És mesmo um Anormal. Deixaste outra vez a tampa da sanita levantada e o parvo do gato estava a beber de lá! Tiveste muita sorte de ele não ter caído lá para dentro!

E como se de um milagre se tratasse, o meu mundo instantaneamente recompôs-se, aliviado.

Atento, o meu diabinho particular segreda-me ao ouvido “Ainda bem que era só isso. Julgava que ela tinha descoberto…, tu sabes…


Ao qual respondo “Pois. Eu também julgava que era a outra coisa…

E rimo-nos os dois, em surdina.