sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Elsa (6)


Há uns anos atrás uma amiga disse-me que ela e o namorado se tinham conhecido num chat de encontros. Eles estão juntos desde essa altura e tudo lhes corre bem na relação.

O único problema é que não podem revelar a ninguém como, na realidade, se conheceram. E então inventaram uma história, metendo no meio um amigo comum, que os teria apresentado um ao outro. E esse amigo era eu, claro está!

Quando me contaram a história, num primeiro momento não percebi a razão de tal segredo, mas depois compreendi. Eles eram apenas uns enormes hipócritas, pois se por um lado consideravam que esses chats eram especialmente destinados a pessoas que andavam só atrás de “engates”, por outro, ambos os tinham frequentado.

E pior, tinham-se conhecido através de um deles. Ingratos, pois deviam estar eternamente agradecidos, pois foi através dessa forma que cada um deles encontrou quem os aturasse…. 

Ainda me lembro quando as pessoas se conheciam através das suas redes sociais, mas das outras, das verdadeiras, daquelas em que se sabe onde os amigos moram e o que fazem. São aqueles amigos verdadeiros, de carne e osso, e que se terão conhecido num qualquer evento social real.

Os tempos mudaram. Agora quase todos os meus amigos conheceram as suas caras metades através das redes sociais Twitter, Face, Google, Instagram, Badoo, eu sei lá. Isto primeiro tornou-se novidade, depois tendência, a seguir moda, e agora, dizem, é o único meio em que é possível conhecer alguém.

Com isto tudo a ocorrer, dei por mim a pensar que não poderei dizer à minha família e aos meus amigos que conheci a Elsa no Metro! E senti-me tão ingrato como os meus amigos que se conheceram num chat!

Como será que os meus familiares e amigos vão reagir quando lhes disser que conheci a Elsa no Metro? Ficam logo a achar que somos uns taradões! Vou é dizer a todos que a conheci no Tinder. É muito mais seguro! 

O pior será quando eles souberem que a Elsa não tem perfil no Facebook nem conta no Instagram! Como é que eles a poderão conhecer de "verdade"? Tremo só de pensar.

Mas é a verdade! A Elsa disse-me que não tem perfil no Facebook nem no Instagram, e nem em nenhuma rede social. E só tem um telemóvel daqueles de teclas e com um ecrã pequenino. Tornou-se uma pessoa estranha neste novo mundo global. Muito estranha mesmo.

Mas foi por não ter um smartphone que ela me viu na carruagem do Metro. É que se ela tivesse um, decerto permaneceria imersa na net e não teria reparado que eu estava a olhar para ela, para aquela mulher pequena e discreta. Coincidência? Sorte? Azar? Felizmente nunca saberei.
(continua)