quinta-feira, 21 de abril de 2016

Depois... logo se vê!

 
Sabemos bem que a Vida nunca oferece qualquer tipo de segurança, mas como sonhadores que somos, ansiamos sempre pelo certo, seguro e perene.

Coitados de nós de quem o Destino e o Universo se riem perdidamente, pois sabem que a segurança é pura ilusão e sonho inatingível.

Quando nos sentimos seguros de algo é porque estamos apenas distraídos, e que o nosso “karma” se irá encarregar de colocar tudo nos eixos. Neste caso, fora deles.

Em resumo, a Vida é um Caos e que nada é o que parece, e os chamados valores seguros são tudo menos isso.

Mas será a insegurança necessariamente algo mau? Eu considero que não!

A segurança leva ao relaxe, ao confiar nas situações em demasia. E quando se constata a mudança é tarde de mais.

Quantas relações conhece que se desfizeram por haver demasiada segurança? Por terem deixado de lutar um pelo outro? Demasiadas, não?

E estas situações acontecem por julgarem que nada mais há para ser feito, para ser dito, para ser conquistado….

Esquecem-se que tudo na vida tem de ser permanentemente alimentado para poder sobreviver!

É a insegurança e inquietude que nos permite estar atentos e aos primeiros sinais, agir em conformidade.

Melhor é antecipar a mudança, acompanhá-la ou inovar, desbravando novos caminhos, liderando o processo.

Se a insegurança nos leva à ação, a arriscar, a lutar por mais e melhor, a segurança conduz-nos à estagnação e à entropia.
 
Temos de estar permanentemente acordados para a vida e a lutar pelo que amamos!

E ainda bem que a Vida é assim….pois só desta forma merece ser (bem) Vivida!