segunda-feira, 4 de julho de 2016

Canícula Canina


Mesmo sendo o Verão a época dos calores, a verdade verdadinha é que a canícula de hoje estava demasiado brava para estes lados. Especialmente para mim, por razões óbvias!

A tarde molengava como um pão quente a escorrer mel, e eu que não sou de contrariar ninguém, bezerrava pachorradamente estendido no sofá, esperando que a tarde se fartasse de si mesmo e se vestisse de noite.

O calor abrasava-se a si mesmo, impedindo os restantes seres vivos de pensar em mais nada que não fosse bebidas frescas e chuva gelada.

O próprio sol divertia-se a fazer razias às cabeças dos loucos que se atreviam a sair à rua, torrando-lhes o cocuruto e por vezes, um capachinho ou outro.

A sombra, a ver-se tão solicitada, fugiu de tudo e de todos e refugiou-se num vão de escada, aguardando aí que o sol se fartasse da sua juvenil vilanagem e desaparecesse no horizonte.

Já a água fresca e o pirolito gelado, inchados com a sua inesperada popularidade, mostravam-se uns oferecidos, indo com todos e com todas, numa total ausência de pudor.

Eu próprio dei por mim a desconfiar que estava com alucinações devido ao calor, quando senti a ausência de picadelas das melgas, pois eu nessas coisas sou um autêntico Cristo!

Tive a certeza que as alucinações tomaram mesmo conta de mim quando "vi" aquelas bestas assassinas aladas a abanarem-se com leques e a beberem "pina coladas"….. em vez do meu rubro sangue.

A essa altura a própria água já se tinha transformado em vapor e zarpado para longe, dizendo entre dentes que não ia aturar tamanha provação nem mais um segundo!

Já uma bola de pelo tentava desesperadamente regurgitar-se pela boca do gato cá de casa, que enojado, olhava de esguelha para mim, quiçá numa vã esperança que eu o fosse salvar de tamanho desconforto.

Aquele burro nem desconfiou, mas errou por muito o alvo, pois eu realmente podia até salvar o mundo, mas desde que soubesse que ele se fosse lascar….. e de vez.

E foi com esta sensação de infindável gozo pela situação por que estava a passar aquele bufento felino que se passou a tarde e a tarde se fez noite..... em mais uma canícula canina...